quinta-feira, 21 de novembro de 2013

“É que Narciso acha feio o que não é espelho” ―Caetano Veloso

O dia foi hoje. Como sempre, sigo o meu percurso rotineiro, uma boa caminhada, depois embarco no trem rumo a São Caetano. 
Como estou sem fone de ouvido, nada resta mais a fazer que observar, vejo muitos rostos e em cada um algo que encanta. Nesta observação passo a conhecer um pouco de alguns desconhecidos, a preferência de leitura, a maquiagem da menina feita com esmero  no trem , os problemas familiares discutidos nada discretos  pelo celular, até uma bandeja de sushi como almoço rápido no colo da moça e muita gente cansada tirando um cochilo até a estação de desembarque, é impressionante como sente a hora que tem que descer, e acorda rapidinho  . No trem se vê de tudo, jovem, idoso, criança, cada um único. É um bom exercício para quem quer ver além.
Desembarquei, fui até o terminal para "pegar" o onibus. Entrei, nada de lugar para sentar, observei logo que atravessei a catraca, uma moça , mas o que me chamou atenção foram as tatuagens. Pensei:
nossa que exagero, será que precisa de tanto, além das tatuagens tinha piercing no nariz. Mas na realidade nem olhei os desenhos só achei que havia muita  informação. Mas, quem disse que isso era da minha conta?
Nesse tempo de espera até a saída do onibus, fiquei tentando desviar o olhar. Percebi então, que todos olharão para frente. Eu segui os olhares e vi a mulher que entrou, com o rosto muito ferido, cheio de hematomas, com cortes suturados com vários pontos, marcas nos braços, aquilo era visível que não era acidente, aquilo era resultado de violência. Todos olhavam aquilo com ar de piedade, a mulher aparentava sentir-se envergonhada. Aquilo sim era feio de ver. 
Então coloquei-me a observar com atenção desenhos no corpo da moça, vi gaivotas de pequenas a maiores  estampadas no colo, uma rosa e uma estrela nos braços, um palhaço sorridente em uma  perna, um pierrot na outra, nos dedos flores, um nome de mulher no pulso (que poderia ser o da mãe,ou namorada)
E acabei por mudar meu pensar, e achar diante do que vi que aquilo tudo era até estiloso. Percebi o contraste, as marcas do corpo da moça ela escolheu, o da outra mulher alguém provocou. 
Por fim, as duas desembarcarão e seguiram o rumo quase lado a lado, e eu continuei a observar de longe...tentando me entender...
Caetano pode explicar: "Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos Mutantes"


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

O presente.

Duas pessoas são convidadas para festa de aniversário de uma pessoa querida e muito estimada. Uma das pessoas vai a uma loja compra um presente que encontrou na promoção, e aproveitou a embalagem( aquele saquinho que a loja dá), o outro convidado, ficou pensativo, pesquisou entre os familiares o que a pessoa gostaria de ganhar, foi a loja comprou o presente conforme o gosto do aniversariante, em seguida comprou uma caixa linda  um laço de fita vermelho e um cartão,  foi para casa, embalou escreveu no cartão uma bela mensagem colocou o  dentro da caixa e terminou com um lindo e enorme laçarote em fita vermelha.
Chegando a festa, os dois entregaram o presente na recepção para ser etiquetado, para que o aniversariante possa depois identificar quem deu.
No meio de tantos pacotes as etiquetas se soltaram, e ficaram assim sem identificação, mas o cuidado de quem presenteou com a caixa bonita  foi nítido, o cartão estava dentro . Quando o aniversariante leu a mensagem se emocionou, ficou feliz pelo presente porque era exatamente aquilo que mais queria. Quanto ao outro presente até hoje não se sabe quem deu.
Isto é uma metáfora, que fala  sobre o cuidado que devemos ter com nossos amigos, familiares e amores. O zelo  deve ser observado em todos os momentos e situações. A forma com que a importância aos detalhes é dada, o carinho, e a frequência . O qualquer jeito, qualquer um faz, agora...o bem feito é só para os especiais. 
Seja especial para alguém, para que alguém possa ser especial para você.

domingo, 10 de novembro de 2013

FAMÍLIA

Como diz o conceito Família é o conjunto de pessoas que possuem um grau de parentesco entre si ,   vivem na mesma casa e formam um lar.
Pois bem, é dentro deste lar que são transmitido os valores, e a aprendizagem para o convivio social,  cabê a família o desenvolvimento de cada indivíduo que pertence a ela.
Atualmente as famílias vem tornando-se o mais diversificadas possível, mulher e mulher  formando sua família, homem e homem formando a sua, e criando os filhos de maneira saudável e com valores iguais as convêncionais. 
Há famílias que são formada pela mãe e os  filhos,outras por pai e filhos, aquelas imensas que contam com todos os componentes. Todas são famílias.
Mais mudanças quanto ao modelo tradicional, onde o homem era o "provedor", e a mulher cuidava da casa e dos filhos, hoje muitas situações obrigam a inversão de papéis, e isso também é um progresso.
Mas família é sempre família, aquela de sangue é dessa que estou falando, aquela que ninguém pode violar.
Amigos são a família que escolhemos? no máximo dois, porque o resto corre na primeira dificuldade, a família de sangue sempre estará lá!
Brigas, mágoas isso é inevitável, mas o tempo passa e o laço é forte. Seja perto,  ou longe família sempre será família, não é necessário casa e sim um lar.

"Toda a doutrina social que visa destruir a família é má, e para mais inaplicável. Quando se decompõe uma sociedade, o que se acha como resíduo final não é o indivíduo mas sim a família."

Victor Hugo